Santuários Marianos

Nasci e cresci em família católica, e Nossa Senhora sempre esteve presente em minha vida. Muitas vezes durante o dia me coloco nas mãos dela, coloco minha família sob seu manto sagrado, e nos meus momentos de angústia sempre senti sua proteção. Tenho experiências milagrosas com Nossa Senhora, mas deixo o assunto para um próximo post. Hoje quero falar dos Santuários que já tive o privilégio de conhecer. Essa primeira imagem não é de um Santuário Mariano, mas é uma das imagens de Maria mais lindas que já conheci, a Pietá, em Roma.

IMG_2478

Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida – Aparecida/SP

Minha primeira ida ao Santuário de Aparecida foi em 1998. Meu pai me levou, junto com meus filhos, que eram bem pequenos na época. Impossível não se emocionar diante da pequena imagem que tanto representa em minha vida. Passamos dois dias na cidade, envoltos em oração e proteção.

A história de Nossa Senhora Aparecida começa com uma imagem encontrada por pescadores que tinham a missão de conseguirem peixes para a comitiva do governador, em outubro de 1717 . Depois de várias tentativas fracassadas eles fazem uma oração pedindo ajuda da Mãe de Deus. Ao lançarem a rede, encontram a imagem de Nossa Senhora da Conceição, porém faltando a cabeça. Lançando a rede novamente, encontram emocionados a cabeça que se encaixa perfeitamente na pequena imagem. Após esse achado, apanham enorme quantidade de peixes, e assim acontece o primeiro milagre pela ação de Nossa Senhora Aparecida. A devoção à imagem começa, e a notícia se espalha Brasil afora. Em 1745 terminaram a primeira capela, que recebeu visitas ilustres como o imperador Dom Pedro I. A quantidade de pessoas e romeiros que visitavam a imagem aumentava a cada dia. Por isso, em 1834, deram início às obras da igreja que é conhecida hoje como Basílica Velha. Ela era bem maior que a capela e foi consagrada no dia 8 de dezembro do ano de 1888. Em sua segunda visita à basílica, feita no dia 6 de novembro de 1888, a Princesa Isabel ofereceu à santa uma bela coroa feita de ouro, enfeitada com rubis e diamantes. Era o cumprimento da promessa feita 20 anos antes, na primeira visita feita à imagem. No dia 17 de dezembro de 1928, a vila que crescera em volta da Basílica e que pertencia ao município de Guaratinguetá, fica independente, tornando-se o município de Aparecida do Norte. Hoje, a cidade se chama Aparecida. O Papa Pio XI decreta Nossa Senhora da Conceição Aparecida como Rainha e Padroeira do Brasil no dia 16 de julho de 1930, e no dia 4 de julho de 1980, numa celebração eucarística solenemente conduzida pelo Papa João Paulo II, a atual Basílica de Nossa Senhora Aparecida foi finalmente consagrada. O Santuário de Aparecida atualmente é a maior basílica do mundo dedicada à Maria Mãe de Deus.

IMG_2972

Voltei em fevereiro de 2015, dessa vez com marido, filhos e meu irmão Eduardo.  Rafael estava voltando de uma temporada de um ano de  estudos em Budapeste, na Hungria, e nada melhor do que nos reunirmos para agradecer toda proteção.

IMG_2914

Santuário de Nossa Senhora de Fátima – Fátima/ Portugal

Fiz uma viagem para Portugal em dezembro de 2013, com meu pai e meu irmão Eduardo, e conhecer Fátima era um sonho antigo.

A história do local começa em 13 de maio de 1917, quando Nossa Senhora aparece para três pastorinhos (Jacinta, Francisco e Lúcia) e durante suas aparições transmite às eles várias mensagens, entre elas os três segredos de Fátima. Construiu-se então uma capelinha no local, e em 1928 deu-se início à construção da Basílica do Rosário. Já no século XXI, devido a grande quantidade de peregrinos no local, iniciou-se a construção da Igreja de Santíssima Trindade, quarto maior templo católico do mundo. Ser devota de Nossa Senhora e estar presente no local de sua aparição é algo indescritível. O silêncio do local, a expressão das pessoas, a energia, é tudo tão forte, como uma concretização da fé. Impossível conter as lágrimas. Rezamos por todos, agradecemos, acendemos velas e assistimos uma missa. Um dia inesquecível!

Capela de Nossa Senhora das Graças

Nossa Senhora das Graças é especial em minha vida. Dedico à ela dois grandes milagres ocorridos em minha vida, carrego sua medalha sempre comigo, além de frequentar a Paróquia de N. Sra. das Graças, onde atualmente atuo como Ministro Extraordinário da Sagrada Eucaristia. É minha Santa de maior devoção, e visitar sua capela era um sonho antigo, como também  uma promessa a ser cumprida há mais de 20 anos. Em abril deste ano, 2018, finalmente consegui concretizar o tão esperado momento, numa ensolarada manhã de primavera em Paris, acompanhada de meu marido e meus filhos. Minha missão era levar ao altar uma medalha que me foi dada por meu pai em março de 1996, num momento de grande aflição, solucionado milagrosamente pela intercessão de Nossa Senhora das Graças. Adentrar a igreja acompanhada de meus filhos foi sem dúvida uma das maiores emoções em minha vida, e assistir a missa com eles foi inesquecível e emocionante.

OJEI2832
Família reunida para agradecer à Nossa Senhora das Graças

O local da aparição da  Mãe de Deus em Paris, na França não é uma Basílica, e sim uma pequena capela. Foi construída dedicada ao Sagrado Coração de Jesus, e foi nela que, em 18 de julho de 1830 Catarina de Labouré teve o primeiro encontro com a Santíssima Virgem. Quando tinha apenas nove anos, Catarina perdeu a mãe. Após o funeral, a menina subiu numa cadeira em seu quarto, tirou uma imagem de Nossa Senhora da parede, osculou-a e pediu-lhe que Ela se dignasse substituir sua mãe falecida.  Aos 10 anos ela recebeu a Primeira Comunhão, e a partir de então a menina passou a levantar-se todos os dias às quatro horas da manhã, para assistir à missa e rezar na igreja da aldeia. Apesar dos inúmeros afazeres, não descuidava sua vida de piedade, encontrando sempre tempo para meditação, orações vocais e mortificações. Catarina entrou para a casa religiosa aos 24 anos, depois de muita insistência com o pai.

GZHO1312

A Segunda aparição da Virgem realizou-se no dia 27 de Novembro de 1830. Nesse dia Catarina viu a imagem que se tornaria a medalha milagrosa, contendo a frase:“Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a Vós”. Passaram-se dois anos sem que os superiores eclesiásticos decidissem o que havia de fazer-se; até que, depois do inquérito canônico, se cunhou a Medalha por ordem e com aprovação do Arcebispo de Paris. A devoção se espalhou com rapidez pelo mundo inteiro, reanimando a fé em muitos corações. O primeiro a aprovar e abençoar a Medalha foi o Papa Gregório XVI, confiando-se à proteção dela e conservando-a junto de seu crucifixo.  Logo Nossa Senhora ficou também conhecida por Nossa Senhora da Medalha Milagrosa ou Nossa Senhora das Graças. Em 1858, a Virgem Maria veio confirmar essa verdade de fé pelas suas aparições em Lourdes à pequena Bernadette, que trazia a medalha ao pescoço. Hoje, todo o interior da Igreja de Nossa Senhora das Graças em Paris e o pátio externo são cheios das manifestações dos fiéis pelas graças alcançadas, principalmente placas de mármore com a palavra “Merci”- obrigado em francês – com placas desde a época em que os primeiros milagres aconteceram, pouco depois da distribuição das primeiras medalhas ao povo, década de 1830. Catarina foi beatificada  por Pio XI  em  28 de maio de 1933, e  solenemente  canonizada por  Pio XII em  27  de  julho de 1947, e por ordem do Arcebispo, o seu corpo foi exumado. Então verificou-se que o seu corpo estava perfeitamente conservado. Até os olhos ficaram intactos. Depositaram-no num caixão de cristal, que foi colocado sob o altar das aparições, na famosa Igreja de Nossa Senhora das Graças na rue du Bac, no centro de Paris. A cada ano,  peregrinos de todo mundo se dirigem até lá para implorar a intercessão de Maria Santíssima.

        Essas são as três Basílicas que já tive a alegria de conhecer. Todas foram especiais, cada uma por um motivo diferente, em uma época diferente. O que é comum em todas é a emoção e a força que senti em cada uma delas. Que Nossa Senhora possa continuar abençoando sempre minha família, não somente nos momentos de aflição, mas em todos os dias de nossas vidas. Amém! Sempre!

Um beijo na alma, com muita fé e carinho.

Lara Beatriz.

obs. As informações contidas nesse post são de informações obtidas nos próprios locais e livros religiosos.

2 comentários em “Santuários Marianos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.