Primeiros livros de 2021 ðŸ“š

Como faz tempo que não escrevo sobre livros aqui, vou resumir os que li neste primeiro trimestre de 2021.

Vamos lá 😌

1) 12 princípios para uma vida extraordinária, de Paulo Vieira.

É possível ter uma vida abundante e extraordinária? O que fazer com os sentimentos nocivos como medo, insegurança e indecisão e tudo o que eles geram em nós?

De acordo com Paulo Vieira, o poder de mudar está dentro de cada um de nós. Ele diz que escreveu este livro baseado em uma frase que fez muita diferença em sua vida: “O que eu não tenho é pelo que eu não sei, porque se eu soubesse, eu já teria”. Após ter estudado muito e alcançado diversos resultados positivos, Paulo deseja compartilhar os aprendizados que adquiriu e que podem mudar a realidade de muitas pessoas, buscando melhorar.

Ele vai inspirar a desenvolver sua mente, aumentar a capacidade de foco, abandonar alguns conceitos como sorte X azar, lutar por sua felicidade a cada dia e não esperar o momento certo ou deixar para ser feliz só no fim de semana e o mais importante: construir a vida que você merece…

Acredito que não existe uma fórmula mágica, mas vale cada leitura e ensinamento que possam nos ajudar a construir uma vida melhor. 😉

2) A amiga genial, de Elena Ferrante.

O nome verdadeiro da autora segue sem confirmação, com especulações na mídia italiana, mas ainda sigiloso por decisão de Ferrante que mantém o pseudônimo.

Ganhei o livro de Natal da minha sobrinha Laura(diva fitness), e adorei 🥰… leitura leve e curiosa, o livro relata a infância e as descobertas da adolescência de duas amigas em um bairro de Nápoles, na década de 1950.

Narra a história de Raffaella (Lila) e Elena (Lenu), o período da escola e o aprendizado além dos livros. Na rua, com os amigos, Lenu aprende uma série de lições que vão transformando-a em uma pessoa cada vez mais madura e uma aluna melhor. A admiração que sempre nutriu por Lila mostra-se recíproca – mesmo com as atitudes inesperadas da amiga. E a relação, ao mesmo tempo, confusa e intensa vai se mostrando cada vez mais forte, em meio aos sentimentos conflitantes da inveja e admiração.

O livro relata três pautas importantes: o empoderamento feminino a partir do acesso ao estudo, conquistado não sem muita insistência pela protagonista e sua professora; a luta de classes – quando a ascensão social é o único caminho para o respeito e mesmo segurança; e a violência e desavenças resolvidas aos tiros em plena festa de fim de ano.

Faz parte de uma tetralogia e já estou ansiosa para ler os outros. São eles: História de um novo sobrenome, História de quem foge e de quem fica e História da menina perdida. Eu adorei 😊

3) O futuro da humanidade, Augusto Cury.

Primeiro romance do psiquiatra Augusto Cury, O futuro da humanidade oferece uma rara oportunidade de repensar a sociedade e o rumo de nossas vidas. Narra a trajetória de Marco Polo, um jovem estudante de medicina de espírito livre e aventureiro como o do navegador veneziano do século XIII, em quem seu pai se inspirou ao escolher seu nome.

Ao entrar na faculdade cheio de sonhos e expectativas, Marco Polo se vê diante de uma realidade dura e fria: a falta de respeito e sensibilidade dos professores em relação aos pacientes com transtornos psíquicos, que são marginalizados e tratados como se não tivessem identidade.

Uma história de esperança e de luta contra as injustiças, este livro é a saga de um desbravador de sonhos, de um poeta da vida, de um homem disposto a correr todos os riscos em nome daquilo que ama e acredita. Nos leva a uma fascinante viagem pelo mundo da psicologia, introduzindo conceitos da ciência de forma simples e nos fazendo refletir sobre o rumo que a sociedade está tomando, além de despertar a vontade de mudar, de recuperar sentimentos esquecidos nos dias de hoje. 📖

4) Campo de batalha da mente, Joyce Meyer.

Neste livro a autora fala sobre a transformação da nossa vida pela renovação da mente. Coloca a mente como um verdadeiro campo de batalha que nos leva a enxergar o bem e o mal dentro de nós.

Através de uma narrativa reveladora a autora Joyce Meyer nos leva a pensar sobre nossos pensamentos e consequentemente o que esses pensamentos produzem na realidade. Fala sobre o pensamento positivo, a natureza e a causa dos problemas, a importância de louvar a Deus, pedir ajuda, buscar conhecimento e sabedoria de Deus .

“Os problemas das pessoas estão tão enraizados em padrões de pensamento que, na realidade, produzem os problemas que elas experimentam na vida diária.” – Joyce Meyer

O livro é dividido em 3 partes:

  • A importância da mente
  • Condições da mente
  • Mentalidades de Deserto

Em cada uma dessas partes a autora aborda diversas situações reais da sua vida relacionadas à mente, revelando como era e como é agora, após ela ter aprendido a vencer a batalha da mente dia após dia.

“Se nossos pensamentos podem influenciar no que nos tornaremos, então deve ser prioridade nossa ter pensamentos corretos.” – Joyce Meyer

5) A revolução dos bichos, George Orwell.

Alguns livros eu já deveria ter lido há muito tempo e “A revolução dos bichos”, de George Orwell, com certeza é um deles. 🐷

George Orwell explica de onde surgiu a ideia do livro: A ideia de escrever “A revolução dos bichos” se deu quando viu um garoto de uma aldeia chicoteando um cavalo de carroça. Naquele momento, a inspiração baixou fazendo-o conjecturar a possibilidade de uma revolta desses animais, partindo da premissa da consciência de sua força, ou seja, como o governo de um estado totalitário explora as pessoas comuns. Nesse momento, a premissa do livro estava dada.

A história tem como espaço central uma granja de animais onde um velho porco chamado Major inicia um movimento, alegando que todos os animais que ali viviam eram escravos e pobres. Todos os animais concordam com as alegações e começam os preparativos para um levante contra o fazendeiro Jones. Iniciam uma revolução.

Os princípios do Animalismo Suíno reduzem-se aos Sete Mandamentos, que são escritos no celeiro. Segundo eles, agora e sempre, os animais são obrigados a viver no “Pátio da Fazenda”:

  1. Todos de duas pernas são inimigos.
  2. Todos de quatro patas ou com asas são amigos.
  3. Os animais não devem usar roupas.
  4. Os animais não devem dormir na cama.
  5. Os animais não devem beber álcool.
  6. Os animais não devem matar outros animais sem motivo.
  7. Todos os animais são iguais.

Progressivamente, porém, a revolução degenera numa tirania ainda mais opressiva que a dos humanos. Escrita em plena Segunda Guerra Mundial e publicada em 1945 depois de ter sido rejeitada por várias editoras, essa pequena narrativa causou desconforto ao satirizar ferozmente a ditadura stalinista numa época em que os soviéticos ainda eram aliados do Ocidente na luta contra o eixo nazifascista.

“Todos os animais são iguais, mas alguns animais são mais iguais que os outros”

Orwell conseguiu reproduzir perfeitamente o comportamento humano colocando-o no mundo animal (fábula). No fundo, o livro não só critica a realidade por trás do regime socialista, como também mostra que as pessoas são facilmente modificadas quanto detém ou acumulam poder. As boas intenções de uma sociedade justa e igualitária perdem facilmente espaço quando a ambição se mostra mais forte.

“A revolução dos bichos”, de George Orwell, continua atualíssimo, pois fala de como as esperanças revolucionárias muitas vezes transformam-se em tragédias humanitárias. Um livro de leitura rápida e fácil e merece ser lido. 🔝

6) 21 lições para o século 21, Yuval Noah Harari

Yuval Noah Harari escreveu 3 best sellers mundiais com milhões de cópias vendidas: Sapiens, Homo Deus e agora o 21 Lições para o Século XXI. 

Eu tinha esse livro há algum tempo mas estava enrolando para ler porque não gostei do livro “Sapiens, uma breve história da humanidade” do mesmo autor. De acordo com o próprio autor, em Sapiens ele fala sobre o passado, em Homo Deus sobre o futuro e nesse ele trata sobre políticas presentes para nos prepararmos para o futuro.

Neste mundo de tecnologias, de avanços de aplicativos, de plataformas de internet, etc., nós estamos no meio de uma mudança muito rápida. Como ele mesmo diz : ” Nós saímos de um Tamagochi para um Iphone 10 em 20 anos!”

Contudo, nessa virada tecnológica, não é a força manual do homem que está sendo substituída, mas sim nossas funções cognitivas! Máquinas estão fazendo o trabalho intelectual de humanos e o autor coloca alguns exemplos de projeções sobre tecnologias que estão sendo desenvolvidas.

Nós já confiamos em nossos smartphones. Agora imagine um chip que é implantado em nosso corpo que consiga detalhar nossas funções vitais, saber se existe algum vírus, bactéria ou qualquer coisa de errado.

Hoje podemos achar que isso é impossível, mas se pensarmos que no ano de 1900 se alguém falasse que daqui a 120 anos as pessoas voariam por todo o mundo por meio de máquinas de metal, que iríamos para o espaço, que teríamos satélites circundando o planeta terra ou que poderíamos nos conectar com qualquer pessoa ao redor do mundo por meio de ondas invisíveis com certeza teríamos achado loucura. 😳

Então, como nos prepararemos para este mundo de automações? 

Ao invés de pensar em fazer uma faculdade e trabalhar com uma mesma coisa pelo resto da vida, teríamos que ser mais dinâmicos e flexíveis para achar outras opções. 

Aprender a aprender, aliás, aprender a nos reinventar Ã©, então, o maior trunfo que temos e teremos.

Segundo o autor, são 3 as habilidades essenciais para driblar esse futuro turbulento:

  1. Aprender a aprender
  2. Inteligência Emocional
  3. Resiliência

E então, com essas 3 qualidades bem desenvolvidas, estaremos preparados para o futuro, se reerguer, mudar e seguir por outro caminho. 🙄

7) A psicologia da Mulher Maravilha, de Travis Langley e Mara Wood.

Eu era muito apaixonada pelas histórias da Mulher Maravilha 🤩 e adorava ver Lynda Carter em ação. Quando vi o livro na livraria não tive dúvidas de que queria ler. No início achei um pouco cansativo e não gostei muito, mas depois me apaixonei e li rapidinho.

Travis Langley  Ã© psicólogo e autor de diversos livros sobre diversos heróis, como Batman e o Capitão América e, em seu último livro, trata de analisar nossa princesa das amazonas. O livro tem ainda préfacio escrito por Trina Robbins, primeira mulher a desenhar a Mulher-Maravilha.

“A princesa Diana das Amazonas é um personagem forte e saudável. Como Mulher-Maravilha, ela é um dos super-heróis mais famosos do mundo e é a personagem feminina mais famosa entre eles – alguns argumentam que seja a heroína mais famosa de qualquer tipo. ( Travis Langley).

Os super-heróis tendem a encarnar a esperança de que os indivíduos que se dedicam a fazer a coisa certa podem tornar o mundo melhor, mas a Mulher-Maravilha vai além, demonstrando a esperança de que cada indivíduo possa melhorar. Ela quer ajudar as pessoas a descobrir o melhor em sua própria natureza e seu laço mágico, conhecido por obrigar as pessoas a falar com honestidade, representa sua dedicação à própria verdade. 💫

William Moulton Marston criou Diana, a princesa amazona, por sugestão de sua esposa, Elizabeth Holloway Marston, que também era psicóloga, segundo os padrões da época. Terapeuta, professor e empresário – tornou-se um consultor educacional para as empresas que se fundiriam formando a DC Comics. Quando o editor Sheldon Mayer lhe deu a oportunidade de criar um novo super-herói, Marston foi para casa cheio de entusiasmo pela perspectiva e, de acordo com seu filho Pete, Elizabeth fez a recomendação crucial: “Vamos ter uma super mulher! Há muitos homens lá fora “. 🥰

A criação de uma heroína que tem a Verdade como propósito deixou como legado temas tão presentes em nossa história como o feminismo, a força da mulher e a busca por um mundo melhor, mais justo. Em “Psicologia da Mulher Maravilha”, os autores traçam um panorama de como a Mulher Maravilha é exemplo para vários aspectos de nosso cotidiano. Não é à toa que ela é considerada a Deusa da Verdade. Verdade essa que sabemos bem onde está: dentro de cada um de nós. ❤️

De maneira bem fácil, a obra explora a psicologia por trás de uma das maiores heroínas dos últimos tempos. Analisa questões atuais, força, virtudes, comportamentos, cultura e como estereótipos de gênero podem afetar lideranças, relacionamentos, a moralidade e o altruísmo.

8) Desbloqueie o poder de sua mente, Michael Arruda.

Michael Arruda é palestrante, proprietário de um canal no YouTube e empresário. Ele é também o criador do HypnoFlash, uma técnica de hipnose emergencial, usada por hipnoterapeutas em situações específicas. 

No livro Desbloqueie o Poder da Sua Mente, o autor explica que muito do nosso poder de processamento cerebral se passa pelo nosso subconsciente. Ou seja, nossa mente está sempre presa a amarras abertas nesse incompreendido lado da nossa psique.

Apesar dos estereótipos desenharem o nosso subconsciente como algo mágico, na realidade, não é bem assim, explica Arruda. A hipnoterapia, por exemplo, é capaz de mostrar o caminho para controlarmos nossa mente e, portanto, guiar nosso caminho para as conquistas que tanto desejamos. O autor explica também que a hipnose é um dos ofícios mais antigos do mundo. Surgiu no Egito Antigo e era utilizada nos Templos do Sono. As pessoas se dirigiam ao local, dormiam e acreditavam que, ao acordar, estavam curadas.

Hoje, o autor de Desbloqueie o Poder da Sua Mente afirma que a hipnose é vista como uma pedra bem lapidada, capaz de nos permitir responder questões para as quais supostamente não tinhamos solução. Por exemplo: Quem sou eu? Qual o meu propósito? 🤔

A mente analisa tudo, o tempo todo, e passa pelos filtros existentes em seu “código” central. Ter controle de nossa mente é algo difícil, mas conquistável.

Segundo o livro, isso explica medos aleatórios, ansiedade em falar com alguém que pode nos dar uma notícia ruim, entre outros receios relativamente injustificados. 

A mente, para funcionar, segue algumas regras:

  • Todo pensamento ou ideia pode causar reações físicas;
  • O que é esperado tende a ser realizado;
  • A imaginação é mais poderosa que o conhecimento, quando lidamos com a própria mente;
  • Uma vez que o conceito é aceito pelo subconsciente, ele permanecerá lá até ser substituído por outro;
  • Cada sugestão aceita cria menos oposição às próximas sugestões;
  • Ao lidar com o subconsciente e suas funções, quanto maior o esforço consciente, menor a resposta subconsciente.

Ele ainda dá quatro dicas:

  1. Encontre sua motivação
  2. Planeje a mudança
  3. Comece
  4. Celebre

Lembre-se: não é possível fechar uma ferida na hipnotização sem deixar para trás o que nos machucou. Perdoar não é seguir amarrado ao passado. A felicidade já está disponível, basta acessá-la.

Ufa!! Esse post ficou gigante 🤭 tentei resumir mas são todos livros muito bons, recomendo cada um deles que indiquei aqui… tenho certeza de que você vai gostar. Me conta depois de você leu algum desses e o que achou.

Um beijo grande com carinho, 💋😘

Lara Beatriz ❤️🌹

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.